Leishmaniose Visceral

Home » Entrevistas » Leishmaniose Visceral

Casos da doença em humanos foram registrados pela primeira vez na história.

 

Mosquito-palha, vetor da leishmaniose.

No programa Bom Dia Gazeta, a apresentadora Renata Câmara entrevistou o Dr. Marcos Vinícius da Silva, médico infectologista do Hospital Emílio Ribas.

O tema central  da conversa foi a leishmaniose visceral, que, em Porto Alegre e Florianópolis, foram recentemente registrados casos em humanos pela primeira vez na história. A enfermidade, cuja prevenção pode envolver a eutanásia de cães – hospedeiros do protozoário -, começou a acometer os humanos por questões de vulnerabilidade social, migração, mudanças climáticas e ocupação irregular de áreas de mata. A leishmaniose visceral não estava presente nos protocolos de saúde do Sul do Brasil, tanto que os primeiros casos começaram a ser tratados como leucemia.

No decorrer da entrevista, o doutor explicou o que é a doença, como ela é transmitida pelo mosquito, os principais sintomas, as diferenças entre a leishmaniose tegumentar e a visceral e os tratamentos para a enfermidade. Dr. Marcos ainda contou sobre as principais formas de prevenção, que são basicamente cuidados em relação ao mosquito-palha.

Ouça a entrevista na íntegra:

Clique aqui e baixe o arquivo em mp3.