• CONHEÇA O MUSEU DO FUTEBOL!

    Localizado no Pacaembu, espaço traz atrações para até quem não gosta do esporte.
  • OBRIGADO, HENRIQUE NICOLINI!

    Jornalista faleceu aos 91 anos e o editor executivo da Gazeta Esportiva conta a importância do legado deixado pelo profissional.
Acessibilidade: A Gazeta AM tem.

Anos 70

 

1970, ano de Copa do Mundo. O país sede é o México e a “Rádio Gazeta” está mais esportiva. O Brasil torna-se tricampeão, vencendo a Itália por quatro a um, com estrelas como Carlos Alberto Torres, Jairzinho, Pelé e Rivelino.
Naquela década, entre os inúmeros eventos esportivos e mais as Copas de 1974 e 1978, a emissora também forma um time estelar, com uma equipe denominada de “A Dona da Bola”. Craques da crônica esportiva revelam-se nos microfones da estação e registram momentos esportivos históricos.
Entre os nomes que marcaram o passe na “Rádio Gazeta” figuram Jota Junior, José Italiano, Dalmo Pessoa, Peirão de Castro, Armando Gomes, José Isaias, Alexandre Nemeth, Lídio Soares, Delfin Pinto e outros que, como os demais, cresceram em exemplar profissionalismo fazendo história. Assim, relembramos também Galvão Bueno, Osmar Santos, Rubens Pecci, Barbosa Filho, Oswaldo Maciel, Henrique Guilherme, João Batista, Silva Netto.
No rumo aos anos oitenta, a “Rádio Gazeta” exibe mais do que uma equipe. É uma verdadeira escola de jornalistas, de onde também saíram Cleber Machado e Tony José. Neste campo, “A Dona da Bola” é imbatível e encerra mais um decênio de vitórias na cobertura esportiva nacional e internacional.